Skip to main content
Imagem que mostra um cérebro dividido entre o sistema 1 e sistema 2

Sistema 1 e sistema 2: aplique isso nos seus vídeos!


“O homem é um animal racional” Usamos a lógica e raciocínio para antes de tomar uma decisão. Será mesmo que todas as decisões que você anda tomando são 100% pensadas e planejadas?


E se a gente te dissesse que não é bem por aí? Você acreditaria? Se esse assunto te interessou ou te deixou curioso, continue lendo esse post até o final e descubra que a racionalidade do ser humano não é tão perfeita assim como acreditamos ser.


Sistema 1 e sistema 2 do cérebro


Bom, essa é uma teoria defendida pelo economista Daniel Kahneman no seu livro Rápido e Devagar. Esses dois modelos de pensamento influenciam as nossas tomadas de decisão e funcionam em conjunto.


O sistema 1 é mais rápido, preguiçoso e automático. Ele está ligado ao lado inconsciente do cérebro e também às nossas emoções.

Rodovia que mostra grande fluxo de carros. Usada para representar o sistema 1 do cérebro


Em contraponto, o sistema 2 é justamente o contrário: lógico, demorado, analítico e racional. Nele as decisões tomadas são menos emocionais e mais pé no chão.

Imagem representando o sistema 2 e o pensamento lógico


Sistema 1 e sistema 2 no dia a dia


Você já percebeu que algumas ações que fazem parte da nossa rotina acontecem automaticamente? Pense no caminho que você faz de casa para o trabalho. Você já repetiu tantas vezes que não precisa fazer esforço para se lembrar. Parece que esse e outros hábitos estão gravados no seu DNA não é mesmo?


Esse é o sistema 1 tomando a frente. Isso acontece porque nosso cérebro toma mais ou menos 35.000 decisões conscientes durante um dia inteiro.


E pensar gasta energia. É só lembrar daquele dia de trabalho que você saiu do trampo de cabeça cheia para entender o que a gente tá falando. Então, como forma de desafogar sua cabeça, as decisões que estamos acostumados a tomar entram em piloto automático, ou no sistema 1.


A partir de então, esse sistema pode criar atalhos mentais, ou vieses cognitivos, para tomar decisões rápidas. Quem nunca teve dificuldade de escolher alguma coisa para comer a noite, não é verdade? É seu cérebro guardando energia e usando o sistema 1.


E o que isso tem a ver com vídeos?

Imagem que mostra uma câmera sobre um móvel e vídeos ao fundo


Um vídeo bem feito e que dê resultados deve conversar com esses 2 sistemas para produzir conexão emocional com a marca no longo praz, seja pessoal ou de uma empresa, e também ações que você espera no curto prazo, que podem ser uma venda por exemplo.


Ao planejar e editar seu vídeo, tenha em mente que você deve falar com seu público em um nível emocional, aproveitando o poder dos atalhos mentais e do subconsciente para que eles absorvam a mensagem sem fazer muito esforço.


Caso o seu espectador perceba essa pegada emocional da mensagem, se tornando mais consciente, é a hora de apostar na lógica e mostrar argumentos concretos para reforçar sua comunicação.


Pronto! Agora você matou dois coelhos com uma caixa d´água só! (só não vai matar os coelhos de verdade). Fazendo isso, você garante que a mensagem atinga o sistema 1 e sistema 2 do seu público.


Conclusão


Para refrescar sua memória, fique ligado no que a gente falou aqui hoje:

  • Nem todas as decisões que tomamos são 100% racionais, por mais que acreditamos nisso;
  • O funcionamento do cérebro humano é regido pelo Sistema 1 e Sistema 2. Eles influenciam bastante no poder de decisão;
  • O Sistema 1 é rápido, automático, inconsciente e emocional. Responsável pelas decisões e hábitos automáticos que temos;
  • O Sistema 2 é devagar, lógico, analítico e racional. Usamos quando é preciso decidir por algo que exija concentração e calma;
  • Um vídeo de sucesso deve se comunicar com o sistema 1 do público, envolvendo-o em um nível emocional e aproveitando os vieses emocionais que temos.
  • Mas também falar com o Sistema 2, mostrando ideias que funcionem como argumentos lógicos e deem embasamento à mensagem que está sendo passada.


Com isso você pode entender um pouco melhor como o cérebro humano funciona e o que nos motiva a tomar decisões. Aproveite essa brecha evolutiva que a gente tem e leve seus vídeos para um novo nível de eficiência, seja para você mesmo ou para seus clientes.


Mas lembre sempre: com grandes poderes vem grandes responsabilidades! Essas técnicas podem muito bem ser usadas para manipulação do público e não é isso que pregamos por aqui. Então, use-as com sabedoria, mantendo sempre a ética e integridade!


E se você curtiu esse post, compartilhe com seus amigos ou quem precisa! Você vai nos ajudar muito com isso.