Como aumentar a taxa de retenção no YouTube

Como aumentar a taxa de retenção no YouTube e ter mais views!


Sabemos que a quantidade de visualizações e de inscritos no YouTube são um dos indicadores de sucesso de um canal na plataforma, certo? Mas sabia que, além dessas 2 métricas, temos outra que seja talvez até mais importante? Estamos falando sobre a taxa de retenção, que traz, em números, o quanto você está prendendo a atenção do seu público. Quer saber como aumentar a taxa de retenção no YouTube e ser mais recomendado pela plataforma? Continue lendo para descobrir!

E veja também o post que produzimos sobre as melhores dicas para divulgar seu canal!


O que é taxa de retenção?


Já começamos a introduzir o assunto ali em cima para você. Mas, vamos aprofundar um pouco mais? Vamos fazer uma analogia. Lembra nos tempos de escola ou faculdade, quando você assistia alguma aula e, com o passar do tempo, o seu interesse ia diminuindo? Alguns professores prendiam sua atenção por mais tempo, enquanto outros eram bem fracos para isso. Quem nunca?


Isso tem exatamente a ver com os vídeos no YouTube. A taxa de retenção é um indicativo da sua capacidade de prender a atenção do público no seu vídeo. Assim, você pode ver até onde as pessoas estão consumindo seu conteúdo e qual a porcentagem delas chega até o final.


Existe também a taxa de retenção absoluta e a relativa. Mas esses conceitos vamos trazer no decorrer desse post de como aumentar a taxa de retenção no YouTube!


Por que a taxa de retenção é importante?


A taxa de retenção de vídeos no YouTube é extremamente importante! Uma taxa alta, faz com que você tenha ao seu lado, ninguém mais, ninguém menos que o próprio YouTube. Isso mesmo, o dono do jogo e quem faz as regras na plataforma. Atingindo números bons, o YouTube passa a recomendar seus vídeos para mais e mais pessoas, de maneira orgânica, ou seja, sem investir um centavo!


Assim, as chances de atingir novos públicos, receber mais visualizações e ter mais inscritos também aumentam consideravelmente. A taxa de retenção ainda revela quais pontos dos seus vídeos prendem mais atenção, o que você pode manter, e em quais pontos o público se dispersa, o que você pode melhorar.


Portanto, além de receber recomendações e ser impulsionado pelo próprio YouTube, é possível identificar o que tem funcionado e aquilo que precisa melhorar no seu conteúdo.


Como ver retenção YouTube?


Tá, agora você sabe o que é a Taxa de Retenção e a sua importância para a produção de conteúdo na plataforma. Muito bom! Mas, como a gente faz para ver essas métricas na prática? Não é difícil, nós temos 3 tipos de retenção:

  • Retenção geral: apresenta os dados gerais do canal, como o tempo de exibição médio, duração média das visualizações, melhores momentos dos vídeos, picos e quedas.
  • Retenção relativa: mostra a retenção do seu vídeo, quando comparado a outros similares publicados na plataforma.
  • Retenção absoluta: já a retenção absoluta irá trazer até que ponto do seu vídeo os espectadores estão assistindo, sem comparar com outros vídeos semelhantes.


E agora você irá ver onde aparece cada um desses relatórios dentro do YouTube Studio.


Retenção Geral


Como falamos, para te ajudar na missão de como aumentar a taxa de retenção no YouTube, é preciso por na sua lista o relatório de retenção geral do seu canal. Para encontrá-lo é bem simples. Na lateral esquerda, clique na opção de Estatísticas.

Como aumentar a taxa de retenção no YouTube: retenção geral


Agora, na aba Engajamento, você irá ver a Duração média da visualização. No gráfico abaixo, você também vai ver como essa duração varia ao longo do tempo. E ainda, se quiser analisar de forma mais profunda, pode clicar em Ver mais para ter acesso a dados ainda mais completos.

Retenção geral 2


Retenção relativa

Para encontrar a retenção relativa, é preciso entrar em algum vídeo específico. Para isso, ainda na barra lateral esquerda, clique em Conteúdo. Selecionado o vídeo, clique no segundo ícone, das estatísticas.

Retenção relativa de vídeos


Role a tela até o final e, debaixo do gráfico, clique em Ver mais.

Retenção relativa de vídeos 2


Em Tipo, mude para a opção Retenção relativa de público e assim você pode ver quais pontos do vídeo estão na média, acima ou abaixo dela, comparados a vídeos parecidos de outros criadores.

Gráfico de retenção relativa de vídeos


Retenção absoluta


E, finalmente, para ver a retenção absoluta também é fácil. Vamos seguir o mesmo passo a passo da retenção relativa, mas agora, no campo Tipo, mantenha na opção padrão Retenção de público. Então, basta navegar ao longo do gráfico para ver qual a porcentagem de pessoas que continuam assistindo em um ponto específico.

Retenção absoluta no YouTube


Taxa de retenção do YouTube ideal


A pergunta que vale 1 milhão: qual é a taxa de retenção do YouTube ideal? Bom, vai variar bastante. Em geral, vídeos mais longos tendem a ter uma taxa menor, enquanto vídeos mais curtos, uma taxa mais alta. E realmente não existe uma resposta certa. Geralmente, uma taxa a partir de uns 35%, 40% já ajuda bastante, mas, quanto mais, melhor.


Isso porque, de acordo com o próprio YouTube, quanto mais a gente consegue aumentar o tempo de exibição dos vídeos, mais aumentam as chances de o algoritmo do YouTube recomendá-lo para outras pessoas.


Como aumentar a taxa de retenção no YouTube?


E agora sim, vamos ao grande assunto desse post: como aumentar a taxa de retenção no YouTube? Quais técnicas usar para conseguir prender mais e mais a atenção das pessoas? Vamos juntos aqui! Continue a leitura.


1. Compare os seus vídeos com os mais populares


A primeira dica que a gente gostaria de deixar para você que está em busca de aumentar o tempo de exibição, ou Watch Time, dos seus vídeos é olhar para o seu próprio trabalho. O que os seus vídeos que fazem mais sucesso têm em comum?


Se você não sabe quais vídeos são esses, consegue encontrá-los com muita facilidade. Dentro do YouTube Studio, na parte de Estatísticas, na aba Visão Geral, já é possível ver uma lista com os 10 mais populares.

Vídeos populares


Agora vem o trabalho pesado. Assista cada um desses vídeos e tente identificar o que eles têm, o que chamou a atenção e cativou sua audiência. Claro, não é uma ciência exata, mas você pode levantar hipóteses para testar nos próximos conteúdos audiovisuais.


Ah, e também é possível combinar sua percepção com dados mais exatos, nos relatórios de retenção absoluta, que mostram exatamente onde as pessoas abandonam o seu vídeo.


Confira também: como aumentar em 60% o alcance dos seus vídeos com thumbnails matadoras!


2. Atenção aos segundos iniciais

Como aumentar a taxa de retenção no YouTube: atenção nos segundos iniciais


Não é novidade que a atenção das pessoas, inclusive a minha e a sua que está lendo, está mais e mais escassa. E esse comportamento não é, necessariamente, culpa nossa. Pense no seu dia hoje, da hora que você acordou até quando foi dormir. Quantas mensagens, notificações, vídeos, stories e outros formatos de conteúdo você viu online? Já até perdeu as contas, né?


Esse grande volume de informação que a gente recebe por dia vai fazendo, mesmo que de forma inconsciente, que a gente filtre as coisas e também se disperse com maior facilidade. O que isso tudo tem a ver com a retenção do seu canal do YouTube? Absolutamente TUDO.


Nos primeiros segundos do seu vídeo, a pessoa vai decidir se o seu conteúdo vale a pena ou não. Você tem pouco tempo para cativá-la. Por isso, precisa bolar um começo bem chamativo e que prenda a atenção dela. Talvez comece com uma pergunta, uma polêmica, mostre um resultado, faça uma promessa, desperte a curiosidade ou ainda já vá direto ao ponto no assunto do seu vídeo. Mais uma vez, é uma coisa que você deve testar e usar os dados de Analytics como referência para saber se deu certo.


3. Seja objetivo


Em dias cada vez mais corridos, ninguém gosta de perder muito tempo. Então, use isso a seu favor. Não fique enrolando ou enchendo linguiça. Aborde o seu assunto de uma forma clara e objetiva para sua audiência. Não existe uma duração exata para fazer um vídeo. Alguns temas devem ser mais profundos e outros mais rápidos. Então, tenha isso em mente na hora de criar seus roteiros para YouTube.


4. Ritmo e dinâmica


Outra técnica muito útil para te ajudar na missão de aumentar a taxa de retenção no YouTube é dar ritmo e dinamismo para seus vídeos. Isso vai ajudar a prender o olhar dos seus espectadores. A edição de vídeos, nesse ponto, tem um papel fundamental! Sabe aqueles vídeos que você assiste e nem vê o tempo passar? Pois é, nosso objetivo é chegar nesse nível.


Ainda vamos explicar esses pontos aqui, mas você pode fazer quebras de padrões ao longo do vídeo, incluir erros de gravação, efeitos visuais, memes que estejam relacionados ao vídeo, usar Jump Cuts e até falar com mais/menos entonação.


Tudo isso vai ajudar a deixar o seu vídeo menos monótono e quem tiver assistindo mais envolvido com o seu canal.


5. Vídeos de qualidade


Fazer um vídeo de qualidade contribui bastante para deixar a audiência mais envolvida com ele. Mas, o que seria essa qualidade? Aqui, todos os detalhes fazem a diferença. Um cenário bonito e bem montado, uma iluminação adequada, um áudio de qualidade e bem capturado e, principalmente, um roteiro muito bem montado! Tudo isso, depois de finalizado, vai somando pontos para sua peça audiovisual.


Veja várias dicas para fazer vídeos profissionais!


6. Efeitos visuais


Mais uma técnica de como chamar a atenção dos seus espectadores e aumentar a retenção dos seus vídeos é apostar em efeitos visuais, quando isso for possível e fizer sentido. Juntamente com efeitos sonoros e outras dicas que ainda vamos trazer aqui, eles podem prender bastante o olhar das pessoas que chegam até seu canal, além de quebrar o padrão esperado por elas.


7. Efeitos sonoros


Junto com os efeitos visuais, a sonoplastia do seu conteúdo pode trazer uma experiência bem sensorial, além de dar bastante vida aos vídeos produzidos. E, adivinha? Isso também ajuda a manter a sua audiência bastante entretida com o conteúdo.


8. Bom roteiro


O roteiro pode definir se o seu vídeo vai dar certo ou vai ser um completo fracasso. Isso porque essa ferramenta representa a essência, o esqueleto do seu material audiovisual. Aqui, você terá a oportunidade de planejar e imaginar como será o seu vídeo depois de pronto. Por isso, é importante criar um roteiro que faça sentido no todo; tenha começo, meio e fim e ainda permita planejar efeitos visuais, sonoros e todos os recursos que podem contribuir para contar uma boa história. Sem dúvidas, um roteiro é fundamental.


9. Fale com energia


Já viu como uma pessoa que tem um astral e bom humor contagiam as outras? Pense aí no seu ciclo de amizades como é bom estar com uma pessoa assim. Pois é, fato é que esse carisma, que pessoas desse tipo têm, também fazem toda a diferença na Internet.


Então, quando o roteiro estiver em mãos, a iluminação para gravar vídeos estiver pronta e seus outros equipamentos também, não se esqueça de uma coisa bem importante: cative as pessoas e fale com energia!


Isso fará com que a sua audiência se conecte de forma mais fácil com você e passe mais tempo assistindo os seus vídeos. Com isso, sua taxa de retenção também aumenta. Mas aqui tome cuidado para não ficar muito forçado e parecer um personagem que você não é. Vale a pena usar essa técnica com equilíbrio.


10. Use B-Rolls


É muito comum, na área do audiovisual, o termo “B-Roll”. As pessoas falam sobre isso de uma forma natural, mas não é todo mundo que sabe o que essa expressão significa. Existem duas abordagens diferentes, que vamos te explicar rapidamente só para contextualizar.


De uns tempos para cá, um estilo de gravação ficou bem famoso, com vários movimentos de câmera, dinamismo e transições: os B-Rolls. Não temos certeza, mas, provavelmente, essa técnica ganhou muito alcance com o Daniel Schiffer. Saca só esse vídeo da pizza, um dos mais famosos dele:


Já a outra interpretação do termo B-Roll está mais relacionada às cenas de cobertura, já que a tradução dele é Rolo B. Ou seja, sabe quando você grava umas cenas secundárias para complementar sua edição e quebrar a monotonia? É exatamente isso. Mas qual dessas 2 interpretações você deve usar? Bom, aqui não tem receita de bolo. De repente vale a pena fazer uma introdução com mais movimento para chamar a atenção logo de cara, mas também complementar sua sequência com cenas secundárias.


11. Telas finais


Sabe o que o YouTube gosta mais do que o tempo que as pessoas passam assistindo a um vídeo? Que elas assistam 2 ou mais vídeos. E sabe também um recurso que pode te ajudar bastante nisso e que é até simples de configurar? As telas finais!


É bem comum, principalmente nos canais maiores, a gente ver sugestões de vídeos relacionados e até um ícone para se inscrever no canal, com o seu logotipo. Pois é, essas são as telas finais. Se você não se lembra, são parecidas com isso aqui:

Tela final YouTube


Essa imagem acima é um modelo criado pelo Alisson Pawilak. Se não se sentir preparado a criar a sua do zero, como ele ensina, pode achar alguns modelos prontos no Google. É só digitar “tela final YouTube” ou “End Screen YouTube” para se inspirar. E existe ainda um jeito de otimizar esse recurso.


E é basicamente o seguinte: quando seu vídeo estiver caminhando para o final, você fala sobre o próximo vídeo que a sua audiência pode assistir. E nesse contexto, você apresenta para o público o benefício que terá em consumir o conteúdo. Isso pode aumentar bastante as chances das pessoas clicarem nos vídeos da tela final, aumentando a retenção do seu canal como um todo.


12. Fuja dos click Baits


Um dos grandes vilões, quando o assunto é como aumentar a taxa de retenção no YouTube, são os clickbaits, ou iscas de clique. Não sabe o que é isso? É uma técnica em que as pessoas fazem uma miniatura super apelativa e sensacionalista, mas que, não necessariamente, tem a ver com o conteúdo do vídeo. O objetivo é chamar bastante atenção do público. Um exemplo clássico dos clickbaits é o assunto “Fim do canal”.

Como aumentar a taxa de retenção no YouTube: click bait


Ok, mas qual é o problema de fazer isso? Isso acaba causando um sentimento de frustração na audiência. As pessoas podem se sentir enganadas e assim abandonar o seu vídeo, diminuindo a taxa de retenção dele.


13. Quebra de padrão


Ao longo do seu vídeo, durante a edição, faça quebras de padrão também. O que seria isso? Bom, quando estamos assistindo um vídeo, uma pessoa falando por exemplo. Se estivermos assistindo por um certo tempo, já esperamos que a pessoa vai continuar apresentando o tema, certo? Mas se, no meio do vídeo você coloca um meme engraçado, vai acabar quebrando o padrão que o nosso cérebro espera, concorda?


E assim, prestamos mais atenção automaticamente. Pegando ainda nosso exemplo, o humor pode funcionar muito bem. Grandes canais usam essa técnica, como o Me Poupe da Nathália Arcuri. Mas, podem ser outros elementos visuais, sonoros, de repente uma vinheta curta. São várias possibilidades!


14. Deixe o melhor para o final


Por fim, e não menos importante, até porque também deixamos para o final desse post, deixe o melhor do seu conteúdo para o final (e deixe isso bem claro no começo do vídeo). Obviamente isso não impede que as pessoas avancem o seu vídeo para frente, mas trabalha um ponto muito importante: a curiosidade do ser humano.


Muita gente que se interessou pelo assunto vai assistir seu vídeo inteiro, já na expectativa do que vai encontrar no final dele. Qual é aquela dica de ouro que você separou e que ela não pode deixar de conferir. Acredite, existe muita gente curiosa nesse mundão. Por isso, coloque essa técnica no seu arsenal também.


Então, recapitulando, temos o seguinte:

  1. Compare seus vídeos com os mais populares do canal.
  2. Atenção aos segundos iniciais.
  3. Seja objetivo.
  4. Crie ritmo e dinâmica.
  5. Faça vídeos de qualidade.
  6. Use efeitos visuais e sonoros.
  7. Produza um bom roteiro.
  8. Fale com energia.
  9. Use B-Rolls.
  10. Aproveite as telas finais.
  11. Fuja dos clickbaits.
  12. Quebre padrões.
  13. Deixe o melhor para o final.


Outras dúvidas frequentes


Para fechar nosso post sobre aumento de retenção de vídeos, separamos outras dúvidas frequentes, que encontramos no Google. Saca só!


Qual a taxa de retenção ideal no YouTube?


Já mostramos aqui nesse post, mas o fato é que não existe uma resposta exata. Claro que, quanto mais, melhor. Mas geralmente, entre 35 e 45% de retenção já é razoável.


Como ver a retenção do YouTube?


A retenção pode ser vista de 2 formas: a retenção relativa e absoluta. O YouTube mostra qual foi a porcentagem média do seu vídeo que foi visualizada, além de como foi o desempenho em relação a vídeos com formato parecido. Por isso as duas métricas. A retenção pode ser analisada no YouTube Studio. Nesse post é possível aprofundar mais sobre o assunto.


Como calcular retenção de vídeo?


Não é necessário calcular essa métrica de forma manual. A plataforma de vídeos mostra a retenção de forma automatizada nos relatórios do YouTube Studio.


Bom, e por hoje é tudo galera! Esperamos ter tirado as principais dúvidas sobre como aumentar a taxa de retenção no YouTube e que você tenha curtido esse post. Te esperamos no próximo, até lá!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.